DESTINO FINAL

13/09/2009

A doutrina bíblica da Separação!

Agora com vocês, o pastor Ron Riffe:

Justamente quando penso que já vimos o máximo do cinismo no que se refere aos "lobos em pele de ovelha", eis que surge uma nova variedade de mutantes! Parece que seus esquemas para enganar as ovelhas ingênuas são quase tão numerosos quanto as situações mostradas no desenho animado do Coelho Pernalonga! No entanto, os métodos que empregam certamente não são nada engraçados e causam danos terríveis às vidas espirituais de muitas vítimas inocentes. Eu gostaria que não fosse assim, mas nossa natureza caída parece ter a tendência de gravitar em torno dos líderes fortes e autoritários. Se não formos muito cuidadosos e não escutarmos e cooperarmos com os apelos do Espírito Santo que reside em nós, podemos ser enganados e passar a ser mais um ponto no placar do Diabo.

Sabe de uma coisa? Já ouvi "Não julgueis, para que não sejais julgados", ser mal-empregado e usado fora do contexto tantas vezes que me sinto enojado! Também ouço muitos pastores usarem "Não toqueis os meus ungidos" [1 Crônicas 16:22 e Salmos 105:15] com referência a si mesmos — quando ficam sob ataque daqueles que discordam de suas idéias — e estou farto desse mal-uso da Palavra de Deus. Venha cá e permita que este velho pregador diga algumas verdades simples, porém profundas.

Deus não espera que Seus filhos sejam idiotas sem nenhum discernimento espiritual. A recomendação sobre não julgar está claramente no contexto do julgamento injusto — acusar e julgar com falsidade e trazer em questão os motivos do coração. Essa prática é errada e a Palavra de Deus a condena repetidamente. No entanto, o que muitos deixam de compreender é que a mesma Palavra nos exorta a exercitar o discernimento espiritual positivo — em outras palavras, o bom julgamento espiritual. Não devemos ser ingênuos e engolir as mentiras e os falsos ensinos dos outros, não importa o quão respeitáveis eles possam parecer. Para podermos estar sobre nossos próprios pés, espiritualmente falando, precisamos conhecer a Palavra de Deus e o Deus da Palavra! Simplesmente porque alguém é um "ministro do evangelho", não significa que seja uma pessoa especial e que você deva aceitar de boa mente tudo o que ele diz! Deus considera você responsável pelo conhecimento da Palavra e engolir tudo que o pastor diz só porque você aprendeu a confiar nele, é convidar o desastre. Os membros da minha igreja podem confirmar que peço que questionem tudo o que ensino, simplesmente porque posso estar errado em algum ponto.

Somos instruídos a sermos como os "nobres bereanos" [Atos 17:10-11], que pesquisaram as Escrituras para ver se o apóstolo Paulo estava realmente dizendo a verdade e se estava interpretando corretamente as Escrituras. Paulo elogiou o ceticismo saudável deles! Em nenhum lugar a Bíblia diz que os bereanos pensaram que Paulo estivesse mentindo; apenas quiseram examinar seus ensinos à luz das Escrituras. Em outras palavras, eles avaliaram o ensino de Paulo de acordo com a infalível Palavra de Deus, exatamente o que devemos fazer neste fim dos tempos. Muitos cristãos hoje não têm um ceticismo saudável para o que ouvem de um pregador estimado; muitos também deixam de perceber que um ministério cristão pode estar ensinando perfeitamente a Palavra por um longo tempo, mas de repente apostatar. Além disso, muitos cristãos não percebem que os falsos mestres podem perfeitamente pregar a Palavra por um bom tempo e, então, quando arregimentam um grupo de seguidores devotados, começam a desviá-los para o erro. Na Inteligência Militar, chamamos esse tipo de indivíduo de "toupeira"; eles parecem bons por tanto tempo, que ninguém suspeita que possam estar realmente trabalhando para o inimigo. No entanto, em algum momento crítico, eles passarão a trabalhar para o inimigo, e serão muito eficientes, pois os colegas e os chefes confiam neles totalmente.

Temos a mesma situação aqui com muitos ministérios cristãos atuais, como mostra o fiasco da recomendação favorável aos livros da série Harry Potter.

Já é bastante ruim que hordas de supostos ministros estejam pregando alguma coisa que não o leite puro da Palavra, mas agora a moda mais recente parece ser autores bem conhecidos, ex-políticos, etc., apresentando sua própria variedade de Psicologia 'pop'. Essa onda do "sinta-se bem consigo mesmo", revestida por uma fina camada de respeitabilidade cristã, está varrendo o país e qualquer um que ouse se levantar e oferecer oposição é rapidamente acusado de "estar julgando". Bem, podem me acusar, mas estou apenas tentando alertá-lo para o fato que lobos apóstatas estão infiltrados entre as ovelhas e você pode ser a próxima refeição deles.

Falando sobre "sinta-se bem consigo mesmo" — acredito que você compreende que toda essa inclinação à Psicologia não tem base alguma nas Escrituras. Uma das características de nossa natureza depravada e caída é que nos sentimos bem quanto a nós mesmos do jeito que estamos! Todos somos egoístas — literalmente amamos a nós mesmos e sempre queremos ser o número um. No entanto, a Palavra de Deus diz que devemos mortificar a carne, crucificar o velho homem para servir a Cristo. Assim, quando alguém se levanta e ensina que devemos fazer isto ou aquilo para "nos sentirmos bem conosco mesmos," está em violação clara aos princípios das Escrituras. Na verdade, Deus trará "tristeza divina" à vida de uma pessoa para fazê-la sentir-se mal o bastante sobre si mesma e então se arrepender ["Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte." — 2 Coríntios 7:10].

Para seguirmos o exemplo de Cristo, deveríamos gastar toda nossa vida procurando a verdadeira humildade e colocando o bem-estar dos outros acima do nosso. O segredo da vida é o serviço e não a satisfação pessoal. No entanto, os gurus ávidos por números conhecem bem a natureza humana e apertam os botões certos para assegurar um grande número de seguidores e todos os ganhos decorrentes. Eles sabem que a vida está terrivelmente difícil para algumas pessoas, de modo que constroem "ministérios" voltados para o atendimento às carências psicológicas desses indivíduos emocionalmente problemáticos. Eles ajudam algumas pessoas? Provavelmente sim, mas a que custo dos princípios das Escrituras?

Alguém me disse que na composição dos raticidas, aproximadamente 98% são nutrientes inofensivos elaborados à base de milho, mas o que realmente mata os ratos são os 2% de estricnina, um poderoso alcalóide que ataca o sistema nervoso! Infelizmente, muitos estão "sossegados em Sião" porque seus pastores (ou mestres/televangelistas favoritos) lhes dão 98% de ensino bíblico puro, mas eles não questionam os outros 2% de desvios doutrinários. Somente um pouco de veneno extrabíblico pode acabar com a eficácia espiritual de um grupo grande de pessoas.

Um conceito paralelo envolve o carisma pessoal e reputação desses pastores dos "2%". Fico admirado ao observar a quase veneração que esses homens (e um número crescente de mulheres) recebem de seus seguidores. Por que é quase considerado uma blasfêmia alguém como eu apontar nas Escrituras os erros e falhas doutrinárias de seus ministérios? As acusações de "não julgueis…" voam rápidas e firmes, mas esses seguidores leais deixam de reconhecer que a Palavra de Deus é a autoridade final e não as grandes reputações dos homens nesses ministérios proeminentes. Acredito que nunca passe pela cabeça dessas pessoas que seu ícone amado seja um apóstata a caminho do Inferno e que esteja intencionalmente levando-as ao erro.

Nunca chama a atenção desses seguidores que um homem verdadeiramente do Senhor será odiado pelo mundo? Amados, prestem atenção, pois aqui está um ponto muito importante! O apóstolo Paulo nos diz em 2 Timóteo 3:12:

"E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições."

Você vê qualquer um desses pastores da safra atual dos "2%" ser perseguido por causa de sua posição em Jesus Cristo? Dificilmente! As pesquisas de opinião indicam que eles estão entre os indivíduos mais respeitados do planeta! De uma forma que faz lembrar as jovens mães que, durante os anos 60 e 70, levavam em conta todas as falsidades proferidas pelo Dr. Benjamin Spock sobre como criar os filhos, o público toma o que esses homens dizem e escrevem como sendo evangelho. O velho e solteirão doutor Spock não teve seus próprios filhos, mas suspeito que muitos desses pastores dos "2%" sabem exatamente o que estão fazendo.

Se alguém lhe desse uma garrafa de estricnina para beber — você lhe diria para ir plantar batatas. É óbvio demais. No entanto, se alguém colocar o veneno em uma comida deliciosa e não lhe contar nada, o desejo de saborear aquela comida provavelmente o seduziria a comer. O termo para descrever esse processo é "insidioso." O Novo Dicionário Aurélio define "insidioso" como: "Que é dado a preparar insídias, ciladas; traiçoeiro, pérfido; aquele que procura corromper." Tenha essa definição em mente enquanto tento explicar o que vem acontecendo lentamente na comunidade cristã nos últimos cinqüenta anos.

Deus Ensina e Exige a Separação
Há uma doutrina vital na Palavra de Deus que, em minha opinião, é a menos compreendida e a menos ensinada de todas — a doutrina de separação. Ela é proclamada do Gênesis ao Apocalipse de uma forma ou de outra. Sucintamente, é mandamento de Deus para seu povo distanciar-se espiritualmente dos ímpios — e sempre que for possível, fisicamente! Por que você acha que Deus deu tal mandamento? Bem, o caminho mais fácil que conheço para explicar isso, é usar uma ilustração que já usei antes em outro artigo — um mineiro que trabalha em uma mina de carvão vestindo uma camisa branca! Às vezes o ridículo pode nos ajudar a compreender melhor uma premissa básica e essa camisa branca pretende fazer exatamente isso. Você acha que o mineiro poderá conservar sua camisa branca limpa? De modo nenhum! Para conservá-la limpa, ele precisará ficar fora da mina de carvão! Pessoal, não podemos mexer com uma pilha de carvão espiritual e manter nosso testemunho cristão limpo. Da mesma forma como Deus no Velho Testamento advertiu repetidamente os filhos de Israel a ficarem afastados das nações ímpias vizinhas, Ele deseja que Seus eleitos façam o mesmo hoje. No entanto, essa premissa causa um frio na espinha dos teólogos e dos pastores liberais. "Ah, mas você não pode se distanciar dos incrédulos que quer ganhar para Cristo!" Sabe qual é a minha resposta para essa afirmação ridícula? DEUS DISSE PARA NOS SEPARARMOS!!! Ao contrário do que o antigo adesivo para carros dizia, "Deus disse, eu creio e isto basta", afirmo em alto e bom som: "Deus disse e isto basta"! — Independente se alguém crê ou não! Veja o que Paulo escreveu em 2 Coríntios 6:17-18:

"Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso."

Isso soa como um equívoco para você? Se a língua portuguesa ainda significa o que entendemos, esse verso nos diz para ficarmos longe dos ímpios. Não significa isolamento no sentido monástico, onde não há qualquer contato, mas uma separação em que possamos manter nossas "camisas brancas" limpas. Não deve haver nenhum relacionamento íntimo com pessoas que não são salvas. Nenhum casamento intencional com incrédulos, ou sociedades nos negócios, ou mil e uma outras formas em que poderíamos vir a comprometer e contemporizar nosso relacionamento espiritual com Jesus Cristo. Isto é "manter certa distância" no dia a dia, em que devemos lutar para ficar longe da contaminação que há no mundo e, ao mesmo tempo, não aparentar uma atitude de "sou mais santo que você". É difícil de conseguir, mas muito necessário porque o mundo vai querer grudar em você.

Aproveitando que estou no assunto, podemos também mandar alguns pastores para a órbita. Eles têm em suas cabeças que os cristãos nunca devem se separar dos outros cristãos — por causa de alguma noção errada que a unidade deve ser preservada a todo custo. Unidade entre os irmãos é altamente desejável, mas não deve nunca ser buscada em detrimento da doutrina. Outra vez Paulo fala sobre o assunto da separação, e desta vez envolve outros cristãos (observe a ênfase com que a exortação é feita):

"Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu." [2 Tessalonicenses 3:6].

Outra vez, pergunto, há um equívoco aqui? Quando um irmão ou irmã em Cristo está "andando desordenadamente" (um termo militar que significa marchar de forma desalinhada com o resto da tropa — em outras palavras, "fazendo da sua própria maneira"), devemos nos separar dele por duas boas razões. A primeira é evitar que a atitude dele de participação no pecado nos contamine e, segunda, é que nossa atitude de separação o faça se envergonhar de si mesmo e voltar a ter um relacionamento correto com o Senhor. O apóstolo Paulo demonstra esse princípio em 2 Tessalonicenses 3:14-15:

"Mas se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. Todavia, não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão."

Essa doutrina é tão clara que até mesmo um cego pode ver, mas os pastores deixam de obedecê-la e de ensiná-la — por causa da visão distorcida de unidade.

Agora que mostramos os fundamentos bíblicos da doutrina da separação (e muito mais poderia acrescentado), permita-me explicar como os "2%" estão violando a Palavra de Deus e as não tão óbvias razões por que fazem isso.

O Início da Enganação Espiritual Quanto à Separação
Em 1957, um homem chamado Harold Ockenga (da Universidade de Princeton?) fez uma apresentação em que declarou, muito candidamente, que aqueles que compartilhavam de seu ponto de vista tinham chegado à conclusão que a doutrina bíblica de separação estava ultrapassada. Na opinião deles, ela não era mais válida e realmente prejudicava a propagação da mensagem do evangelho! Apresso-me a dizer que embora esse homem tenha sido transparente e honesto em sua afirmação, isso não é nada mais do que pura heresia porque ele/eles ousaram questionar e redefinir o método de Deus para a evangelização. (Antes de continuarmos, reiteramos que o próprio Harold Ockenga admitiu abertamente que seu novo método de evangelização proposto diferia dos preceitos bíblicos!).

Eles então passaram a delinear sua abordagem alternativa para o evangelismo como sendo o que classificaram de "infiltração". Em vez de continuar com a abordagem bíblica da separação do mundo, o "novo" método envolvia a infiltração da igreja na sociedade — parecendo-se e agindo como qualquer outro segmento social — com a intenção básica de que o evangelho seja apresentado de uma forma não-confrontadora. Em outras palavras, "camuflar-se para então apresentar o evangelho!" Espantosamente, nos anos posteriores até o presente, um grande número de teólogos, seminaristas, evangelistas, pastores e professores de institutos bíblicos chegou à mesma conclusão e aderiu a essa posição. O movimento foi rotulado de "neo-evangelicalismo" e adivinhe quem eles selecionaram como seu principal "representante"? O nome dele escrito de trás para frente é maharG ylliB (essa inversão é apropriada, porque eles inverteram totalmente o conceito bíblico).

Assim, antes que você seja tentado a saltar em defesa deles, lembre-se que o grupo inteiro se desviou intencionalmente da doutrina bíblica da separação (eles próprios admitem isso!) e não podemos apoiar tal atitude. Além disso, lembre-se que, quando uma pessoa inicia um ministério baseado em preceitos que não são bíblicos, os únicos resultados possíveis são confusão, caos, engano e desastre.

A visão evangelística deles é a razão principal por que Billy Graham e seus companheiros podem solicitar a cooperação da Igreja Católica Romana em suas cruzadas. O movimento ecumênico gosta dos neo-evangélicos, porque eles se dão muito bem juntos; e quando uma doutrina é flagrantemente violada, por que não violar um pouco mais?

Entretanto, meu objetivo principal ao mencionar esses fatos é voltar novamente à palavra "insidioso". A mentalidade dos neo-evangélicos é tal que farão ou dirão qualquer coisa que os faça "ganhar almas para Cristo". Como freqüentemente digo à minha congregação, a intenção deles é parecer, agir e cheirar como o mundo para então infiltrar-se e evangelizar o mundo. A tática inclui o uso de cantores famosos, apresentadores e atores da televisão para atrair as multidões.

O total desprezo deles à separação exigida na Palavra de Deus levou inevitavelmente ao que chamo de "raciocínio fétido'." É algo como: (Somente como exemplo) "Ah, não devemos criticar tão severamente os livros do Harry Potter, porque podemos fazer alguém recusar o evangelho!" Ou, "Devemos ler os livros do Harry Potter para podermos compreender a mentalidade dos incrédulos que estão lendo!" Ou, "Devemos ler os livros do Harry Potter para que nossa mensagem do Evangelho tenha relevância aos perdidos".

Afinal de contas, dizem eles, "é somente outra história de moralidade 'o bem contra o mal'". Acredite ou não, mas essa é basicamente a posição que o Dr. James Dobson, Chuck Colson, e algumas outras revistas "cristãs" tomaram com relação à série de livros sobre o menino-bruxo — o mais novo instrumento que Satanás está usando para enganar os incautos e condicionar as crianças. (Se você ainda não leu os artigos de David Bay sobre a série de livros Harry Potter, precisa fazer isso!).

Essa mentalidade ridícula e totalmente contrária à Bíblia é verdadeiramente insidiosa, porque alastra-se como o fogo. Ela agrada à carne e ao raciocínio carnal. Parece fazer sentido à mente carnal, porque você seguramente não deseja se afastar de uma pessoa antes de ter a oportunidade de lhe apresentar o evangelho. Amém? Mas, ao contrário do que o homem pensa, a Bíblia diz aos pregadores para "redargüir, repreender, e exortar com toda a longanimidade e doutrina" [2 Timóteo 4:2]. Precisamos "contar como realmente é" e, se escolher assim, Deus honrará a verdade da Sua Palavra com o convencimento do Espírito Santo e a salvação de almas. Todas as melhores intenções de nossa parte nunca trarão qualquer pessoa ao Senhor que não tenha já sido eleita por Deus "em Cristo antes da fundação do mundo" [Efésios 1:4]. O próprio Jesus disse, referindo-se ao Seu sacrifício na cruz: "E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim." [João 12:32] Em outras palavras, devemos levar o Evangelho verdadeiro aos perdidos, e eles serão atraídos à verdade do Evangelho.

Em algum ponto do caminho, os homens desenvolveram a falsa noção que podem — por meio de seus próprios esforços e artifícios — ganhar almas para Cristo, mas isso simplesmente não é bíblico. As técnicas de evangelização em massa, de "linha de montagem", empregadas por Billy Graham e seus admiradores, ficam como testemunho mudo aos métodos sem base bíblica de Charles Finney — o predecessor deles do século 19. Esse homem, por seu próprio testemunho, adotou o que veio a ser chamado de "novas medidas para uma nova teologia" e dizia que qualquer um que usasse suas técnicas poderia "obter um reavivamento quando desejasse". Usando essas técnicas, ele praticamente mudou a face do evangelismo em um período de alguns poucos anos. Quais eram essas técnicas? Basicamente, eram a aplicação da pressão psicológica sobre aquelas pessoas cujas emoções tinham sido tocadas por seus sermões, exortando-as a "se levantarem dos bancos e virem à frente, recebendo a salvação!" Os apelos para virem até à frente do púlpito ou ao "banco dos convertidos" também ficaram famosos durante suas pregações evangelísticas. Os "resultados" e os números da pressão produzida despertaram a atenção da maioria dos pastores e, rapidamente, os métodos de Finney se tornaram os "únicos modos de se trabalhar"! Entretanto, antes de morrer, o velho evangelista relutantemente admitiu que seus métodos tinham produzido um número considerável de pessoas que não perseveraram e voltaram atrás, em busca de seus velhos caminhos. No entanto, esses mesmos métodos estão sendo utilizados ainda hoje para encher as igrejas com falsos convertidos — "joio no meio do trigo" — e apenas a eternidade revelará exatamente quantos milhões de pessoas em todo o mundo pensam que estão salvas somente porque foram à frente em uma cruzada do Billy Graham. (Ou fizeram basicamente a mesma coisa em uma igreja em algum lugar.).

Compreendo que essas técnicas são uma "vaca sagrada" para a maioria dos que se consideram cristãos evangélicos, mas meu trabalho é dizer a verdade, e permitir que o Espírito Santo o convença da verdade.

As sementes do neo-evangelicalismo estão se espalhando longa e vastamente, infectando milhares de pastores em todo o mundo. Seu pastor tem um caso com o neo-evangelicalismo? Os sintomas são às vezes difíceis de detectar, pois freqüentemente são apenas uma atitude. Entretanto, devemos compreender que a Bíblia nos diz claramente que "nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos" e "lobos cruéis não pouparão o rebanho". Se seu pastor raramente prega contra o pecado e nunca combate o mundanismo, pode ser que esteja tentando "ganhá-los de dentro". Acautele-se! Após se acautelar, pense em procurar outra igreja!

Resumo
Ao encerrar, devo chamar sua atenção para 2 Timóteo 4:3-4. Nos dois versos anteriores, Paulo incumbe Timóteo de "pregar a Palavra", etc., como um ministro do evangelho. Em seguida, nos versos 3 e 4, ele diz:

"Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências. E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas."

O pensamento neo-evangélico desta geração desviou-se totalmente do ensino da Palavra de Deus e está utilizando métodos humanos para produzir resultados. Às vezes, esses resultados são espetaculares — aos olhos dos homens — mas imagine apenas o horror e o choque que inúmeras dessas almas terão quando estas palavras forem proferidas pelo Senhor Jesus Cristo: "E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci, apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade!" [Mateus 7:23]. Ah, elas foram trazidas a um conhecimento mental de Cristo por meio dos esforços dos homens, fizeram profissões de fé, e muitas até mesmo viveram vidas relativamente recomendáveis, mas nunca realmente creram para obter a salvação de suas almas!

Você já observou a tendência que nós, cristãos, temos de procurar ajudar uma pessoa que tenha dúvidas sobre sua salvação? Nosso desejo de que eles sejam salvos é tão ardente que muitas vezes nos estendemos longamente para provar que eles "passaram da morte para a vida". Entretanto, isso é algo que nunca deveríamos fazer! Estou convencido de que a psicologia do subconsciente da matéria é que desejamos "marcar mais um ponto na nossa contagem de almas ganhas" e fazemos proezas para tentar convencê-los que estão salvos, quando de fato, a dúvida e a busca da alma é saudável espiritualmente e não deveria ser curto-circuitada pelas nossas boas intenções. Se o Espírito Santo estiver trabalhando em seus corações, eles vão crer ou não — e nunca deveríamos ser estúpidos de tentar convencê-los do que ocorreu ou não em seus corações! A metodologia é humana e não tem nada que ver com a força sobrenatural da mensagem do Evangelho. É Jesus quem salva, não nós.

A posição neo-evangélica é contrária à Palavra de Deus e deve ser exposta e combatida em toda oportunidade. Em seu zelo para aumentar os números, os neo-evangélicos estão empregando todos os artifícios psicológicos imagináveis para conquistar a imaginação e os corações das massas. E isto, como é raciocínio humano, requer que a pregação "negativa e dura" contra o pecado não seja usada, pois é contraproducente para promover muitas decisões ao lado de Cristo. Esse conceito errôneo é a razão pela qual tantos líderes e organizações "cristãs" adotam posições suaves, neutras ou nebulosas com relação aos livros de Harry Potter, bem como acerca de muitas formas de comportamento pecaminoso. No entanto, nosso trabalho como pregadores, conforme definido pela Palavra de Deus, é "redargüir, repreender e exortar com toda longanimidade e doutrina" [2 Timóteo 4:2], e deixar que Deus trate dos sentimentos feridos.

Lembre-se, a ordem de Deus é que nos separemos dos pecadores do mundo, e então destemidamente apresentemos a cruz de Jesus Cristo a eles, dependendo do Espírito Santo para produzir o fruto da salvação. Aprendemos que devemos alcançar os pecadores com o Evangelho, embora devamos estar separados do pecado que há no mundo. "Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus. E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento; e salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne." [Judas 21-23].

Considere também que os médicos e enfermeiros cuidam de pacientes que têm as mais terríveis doenças exatamente da maneira descrita no último versículo. Eles salvam alguns, com a atitude de "arrebatá-los do fogo" da morte; no entanto, tomam o máximo de cuidado, protegendo-se da contaminação, "odiando até a túnica manchada da carne", isto é, a roupa contaminada pela doença. Esperamos que os médicos e enfermeiros tomem essas precauções ao tratar os pacientes portadores de doenças infecciosas; no entanto, não pensamos que os cristãos devam agir da mesma maneira ao tratar as pessoas que estão infectadas com o pecado mortal. Conseqüentemente, muitos cristãos se infectaram com o mundanismo quando tentaram "se infiltrar" para salvar o mundo.

Esta, meus amigos, é a verdadeira face atual do neo-evangelicalismo. É a verdadeira razão por que Charles Colson e Christianity Today recomendaram aos pais permitir que seus filhos leiam os livros do Harry Potter, e por que Focus on the Family fez uma recomendação condicional. Esses ministérios podem ter feito muita coisa boa no passado, mas "infiltraram-se" no arraial do inimigo por muito tempo, em proximidade tão íntima, que acabaram contaminados — e nem eles nem seus seguidores parecem compreender isso.

Verdadeiramente, Jesus estava correto quando predisse que os números de crentes no fim dos tempos cairia terrivelmente e fez esta pergunta: "Quando porém vier o Filho do Homem, porventura achará fé na terra?" [Lucas 18:8].

Não acreditamos que a Bíblia ensine que haverá uma grande colheita de almas — outro grande reavivamento antes do aparecimento do Anticristo; ao contrário, acreditamos que o apóstolo Paulo estava correto quando disse que haverá uma grande apostasia — um grande afastamento da sã doutrina. [2 Tessalonicenses 2] Essa igreja cristã apóstata estará repleta de joio (pessoas iludidas que pensam serem salvas). O fato de a igreja neo-evangélica de hoje ensinar doutrinas que não têm base bíblica, e que podem unicamente resultar no aparecimento do joio é mais um firme sinal que estamos no fim dos tempos.

Esses ministérios "cristãos" que recomendam aos pais os livros de Harry Potter estão criando uma igreja repleta de joio. Seus filhos farão parte do joio? Finalmente, da próxima vez que você considerar se seu filho pode ler os livros de Harry Potter de segunda a sábado e depois ir à igreja no domingo, considere a advertência bíblica:

"Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou irritaremos o Senhor? Somos nós mais fortes do que ele?" [2 Coríntios 10:21-22].

Como o próprio Senhor Jesus orou ao Pai: "Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal." [João 17:15] SOMOS CHAMADOS PARA UMA SANTA SEPARAÇÃO!

O simples fato de organizações cristãs estarem recomendando essa nojeira que são os livros de Harry Potter é mais uma prova da apostasia da igreja e é mais um sinal que o fim do tempos está vindo sobre nós com força total.

Autor: Pr. Ronald Riffe

Portas Abertas Brasil - Os Cristaos perseguidos no mundo.

Portas Abertas Brasil - Os Cristaos perseguidos no mundo.
"Onde ter fé em Cristo significa morrer por ela!"

Open Doors - Deutschland

Open Doors - Deutschland
Verfolgte Christen Weltweit - Gefährlicher Glaube

Sponsor a Child/Ajude uma Crianca.

Sponsor a Child/Ajude uma Crianca.
"Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber." (Atos 20 : 35)